Califórnia proíbe entrega de maconha por drones

Determinação faz parte de novo conjunto de regras do estado, que em 2016 aprovou a legalização da maconha para uso recreativo.

O estado da Califórnia (EUA) proibiu a entrega de maconha por drones. A determinação foi publicada na quarta-feira (6) e faz parte do novo conjunto de regras do Departamento de Controle de Cannabis da Califórnia. O órgão trabalha para regulamentar o uso recreativo da maconha no estado, aprovado no final de 2016.

“Mercadorias de cannabis precisam ser transportadas dentro de veículos comerciais ou trailers. (…) O transporte não pode ser feito por aeronaves, veículos aquáticos, trilhos, drones, veículos movidos a humanos ou veículos não-tripulados”, diz um trecho da nova regulamentação.

“Mercadorias de cannabis não podem ficar visíveis ao público durante as entregas. Mercadorias de cannabis não podem ser deixadas sem supervisão em um veículo automotivo a não ser que ele tenha um sistema de alarme. Os veículos usados para entregas precisam ter um dispositivo de GPS dedicado e ativo que permita ao dispensário identificar a localização geográfica do veículo durante a entrega”, afirma outro trecho.

A determinação joga um banho de água fria em startups de tecnologia que, com a legalização da maconha para recreação, já se mobilizavam para oferecer soluções de transporte para mercadorias do tipo.

maconha620

Em novembro do ano passado, Califórnia, Massachusetts, Nevada e Maine aprovaram o consumo de maconha para recreação. Na ocasião, o Arizona rejeitou a legalização.

A aprovação na Califórnia era esperada: a maconha medicinal já era legal no estado desde 1996, e uma pesquisa de opinião da época do Instituto de Políticas Públicas revelava que 55% dos eleitores prováveis – o voto é facultativo nos EUA – apoiavam uma votação que autorizaria ao estado taxar e regulamentar as vendas de maconha no varejo, mais ou menos como acontece com bebidas alcoólicas.

A vitória da legalização tem importância nacional, dado o poder de influência da Califórnia. “Estamos muito animados com o fato de que os cidadãos da Califórnia votaram para encerrar a política falida da proibição da maconha”, disse o diretor-executivo da Associação da Indústria da Cannabis da Califórnia. “A proposição 64 permitirá à Califórnia ocupar seu lugar no centro da inovação, pesquisa e desenvolvimento relacionados à maconha”, acrescentou.

A iniciativa californiana permite que maiores de 21 anos levem consigo e comprem até 28,5 gramas de maconha, e usem a droga para recreação. A medida pode ser lucrativa para cidades e condados do estado. A proposição 64 fixa tributos estatais sobre o cultivo e a venda da maconha, mas também permite à jurisdição local acrescentar tributos próprios, algo que muitas cidades e condados disseram que pretendem fazer.

Economistas alertam que colocar impostos e taxas em uma indústria nascente pode ser um tiro no pé, estimulando o mercado negro e empurrando o negócio da maconha para cidades onde a operação é mais barata. Para muitas autoridades em toda a Califórnia, no entanto, a promessa de uma nova receita para preencher furos no orçamento e financiar serviços é muito sedutora para ser descartada.

A aprovação da Califórnia, estado mais populoso dos EUA graças a seus 39 milhões de habitantes, coloca quase um quinto dos norte-americanos vivendo em estados onde a maconha recreativa é legal, de acordo com cifras do Censo dos EUA.

Fonte: GLOBO.COM

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *