PORQUE 2018 SERÁ O ANO DO DRONE

 

Os avanços na tecnologia combinados com regulamentos sensíveis e facilmente aplicados irão abrir ainda mais o mercado dos drones.

No mês passado  uma nova linha diplomática surgiu entre dois vizinhos do Himalayas, enquanto a mídia estatal chinesa informou que um drone indiano caiu no território chinês. O site do acidente parecia ter estado ao redor de Doklam  onde soldados dos dois lados estavam trancados em um confronto. Pode parecer uma ação única, mas o acidente marca um aumento no uso de drones para fins militares e comerciais nos últimos anos. No próximo ano, no entanto, parece ser um período de grande expansão em seu uso, tornando 2018 o ano de sucesso para drones.

No Brasil todo o mercado se prepara com aplicações e softwares como imagens cognitiva, equipamentos, serviços e importação desses drones movimentando mais de 300 milhões de reais. Alem do mercado recreativo o que impusionará esse mercado é o comercial com o agronegócio e que assim como nos outros anos já conta com grande feiras espalhado no Brasil.

Novos fabricantes de drones ganham força ficando mais competitivo o mercado dando aos consumidores opções de escolha.

Então, o que é um drone?

Simplesmente, é um avião sem piloto. Se você gosta de siglas, você pode chamá-lo de UAV ou UAS, mas o que quer que você faça, o drone está em uso há mais de 100 anos. A primeira vez que os drones foram utilizados em grandes números foi em 1944, quando os alemães atingiram a encantadora idéia de lançar um grande número de bombas V-1 no continente britânico. Eles tinham o tamanho de um avião pequeno e tinham um motor a jato, mas não podiam ser conduzidos. Meu pai viu um, o lado de baixo pintado de verde claro. Voou sobre sua casa na estrada Leswin em Londres, deslizou silenciosamente nas duas próximas ruas e caiu no terceiro.

Os drones são agora utilizados pelas forças armadas em maior número do que nunca, bem como por agências asiáticas de espionagem, como a RAW da Índia (esta é uma das poucas áreas onde a Índia é o líder da China), mas o uso civil é ainda mais difundido. Muitas empresas pioneiras e indivíduos usam drones para complementar seus processos de negócios. Estes incluem serviços de inspeção (de monumentos, pylons e cabos de energia, plataformas de petróleo, fazendas solares, etc.), mídia, jornalismo, fogo e resgate, aplicação da lei, pulverização de culturas, detecção de bombas, monitoramento de inundações, observação da vida selvagem e cinematografia, levantamentos de mapas e qualquer outra coisa que você possa pensar. Você não precisa ser uma empresa ou organização para possuir um drone sofisticado: os entusiastas individuais podem comprar um drone de observação muito capaz como um DJI Phantom 4 por apenas US $ 2.000 (HK $ 15.600).

Um uso mais vasto do drone pode trazer grandes benefícios para a humanidade. O terremoto de Christchurch de 2011 desdobrou uma grande área da Ilha do Sul da Nova Zelândia e destruiu a estrada costeira para Kaikoura; No final, não só as estradas foram bloqueadas por colinas inteiras que se derrubaram, mas os mastros de telecomunicações foram baixados e os celulares tornaram inútil. Os drones foram implantados para filmar áreas inacessíveis, suas descobertas alertaram as equipes de emergência para o paradeiro de pessoas presas. As vidas foram salvas.

O Mercadrone acompanha todo o mercado e trabalha para o crescimento desse mercado com

uso consciente e dentro das leis.

Se você quer entrar para o mundo dos drones fique ligado nos nossos canais:

www.mercadrone.com.br
blog.mercadrone.com.br
www.facebook.com/mercadrone

 

Fonte:  http://www.scmp.com

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *